Notícias‎ > ‎

O MUNDO DISNEYLANDIZADO

postado em 16 de nov de 2009 10:57 por Lucien C.
27 de Janeiro de 2009
_resized_perola_disney

“Drops sabor inspiração e cultura coloridos afetivamente.”

“Drops de Pérolas #6”

No período de 26 de dezembro de 2008 a 10 de janeiro de 2009, estive junto aos meus companheiros de “jornada ahática” Anita Prado e Roberto Pompéia em um aguardado tour por três das mais importantes cidades da Europa: Paris, Roma e Genebra.

Devido à vontade de outros amigos que foram conosco, nosso primeiro dia teve um programa bastante diferente do restante da viagem: fomos à EuroDisney. Eu, que esperava ver algumas atrações que revelassem detalhes das produções cinematográficas, encontrei somente montanhas-russas, elevadores que despencam, shows de carros saltando por cima de barris em chamas e outros brinquedos e shows. E confesso que me diverti bastante.

Nesse ambiente, o olhar se acostuma aos chapéus com orelhas de Mickey e os balões de gás hélio – além das centenas de quinquilharias vendidas em todos os lugares. Porém o que o olhar estranha é o vazamento destes fenômenos para além dos portões da Disney.

Todo o restante da viagem foi planejado sob um viés cultural um pouco mais... digamos... profundo (ainda que em um período hiperlotado de turistas do mundo todo), conforme o internauta lerá nos próximos posts. Eis que, entre tantos museus e lugares históricos, paisagens que nosso imaginário glamouriza como a Avenida Champs-Elysées, a Piazza Navona e o Coliseu revelam-se parecidíssimos com o famoso parque temático em seu pior aspecto: a enxurrada de barraquinhas vendendo todo tipo de tranqueira.

disney05_louvre
Muvuca na Disney. Digo, no Louvre!!!


disney06_piazza
Até show de índios de araque teve nesse dia, na Piazza Navona.

Grande Pantheon…

disney01_pantheon
Ué, mas tem uma imperfeição!?!

Nossa, olha só! Já tinham balões metalizados naquela época!

Difícil é colocar uma escada de 40 metros para tirar isso daí.

E este consumo voraz e sem critério algum deixa seus rastros, como podemos ver nas fotos. O que me faz pensar que a arte e a cultura não estão, de fato, nas coisas e lugares em si. Portanto, se acotovelar feito um desesperado para levar a foto da Mona Lisa em seu celular não tem um décimo do valor de levar lembranças afetivas na memória. Ou reflexões críticas em seu blog.

Avenida Champs-Elysées. Acredite se quiser.

Por Fabio Woody
Comments