Notícias‎ > ‎

Meditação

postado em 16 de nov de 2009 10:40 por Lucien C.
19 de Setembro de 2008

resized_perola_medita_1
“Drops sabor inspiração e cultura coloridos afetivamente.”

“Drops de Pérolas #6”

Meditar é uma prática extremamente simples. Tão banal quanto beber água, e igualmente fundamental.

Para quem nunca tentou, a palavra freqüentemente traz um imaginário místico, transcendental, porém a meditação pode ser praticada simplesmente como uma forma de auto-regulação – de corpo e mente.

Para quem diz não ter tempo, um bom estímulo é saber que bastam quinze minutos por dia.

E para quem tem vontade mas não sabe como, existem inúmeros centros de diversas vertentes em que se pode praticar em grupo – desde academias de Yoga até templos budistas –, ou pode-se também praticar sozinho, mesmo sem nunca ter feito isso.

Meditar, essencialmente, é perceber-se. A forma mais simples de meditação é sentar-se sobre uma almofada confortável, mantendo a coluna ereta, e respirar profunda e lentamente em silêncio. Os olhos devem fixar-se em algum ponto, e a atenção deve ser totalmente direcionada à respiração.

Meditar, de certa forma, é “desviar” dos pensamentos. Bons ou maus, urgentes ou longínquos, nenhum pensamento é digno de aprofundamento nesta hora. É impossível não ter pensamentos, uma vez que eles nascem independentemente da nossa vontade... mas é possível evitá-los, mantendo o foco na respiração, no silêncio e na postura.

Para os que ainda assim não sem convencem, o que não faltam são comprovações científicas de seus benefícios. Algumas delas se originaram de estudos dirigidos durante 25 anos pelo cientista Herbert Benson, da Harvard University.

Dr. Benson chegou a conclusões muito interessantes. Seus descobrimentos foram resumidos em um relatório destinado ao Escritório de Sistemas e Práticas Médicas Alternativas do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos na década de 90. Alguns dos benefícios comprovados são:
- redução dos níveis sanguíneos de cortisol (o hormônio do stress);
- diminuição da pressão sanguínea e do batimento cardíaco;
- baixa da taxa de colesterol do sangue;
- alívio da ansiedade e da dor crônica;
- auxílio no controle do uso abusivo de substâncias nocivas como o álcool, drogas, calmantes, cigarros etc;
- a meditação está associada à melhora da qualidade de vida e à longevidade; conseqüentemente, à diminuição dos custos de manutenção da saúde.

“A Meditação Transcendental é a experiência da inexistência. Aquela inexistência que está como o vazio da semente, e possui a base de todas as inumeráveis expressões.
A questão é que minha mão surge, meus olhos começam a ver, meus ouvidos começam a ouvir... e onde está o 'Eu'? Hmmm? O 'Eu' é aquele vazio que vê pelos olhos, ouve pelos ouvidos, move as mãos. Que, na terminologia Védica, é chamado 'devata'.
'Devata', se quisermos traduzir, significa 'inteligência criativa'. É aquele campo de infinita criatividade - e diferentes campos de criatividade, dentro da inexistência da semente. De dentro, as folhas surgem, os ramos surgem, as flores surgem”. – Maharishi Mahesh Iogue.

Por Fabio Woody
(Dados de pesquisas: Instituto Nefrú)
Comments